#35 - O amor bate na aorta

Aviso de gatilho: Eu ainda não sei lidar com a morte do meu pai, mesmo um ano e meio mais tarde. E como faço com a maior parte das coisas com as quais não sei lidar, escrevi um texto a respeito. Está cru. Assim como é a morte. E está completamente diferente das coisas que costumo escrever. Até fiquei na dúvida se iria enviá-lo ou não. A qualidade está sem dúvidas duvidosa. Escrevi, apaguei, voltei a escrever. A dor adormece os sentidos e o julgamento. De qualquer forma, aqui está.

Read →